fbpx
loader image

Um olhar investigativo sobre o “Sertão Carioca” com estudantes do Fundamental 1

Compartilhar

“A vasta zona de terra carioca, denominada Planície de Jacarepaguá (‘vale dos jacarés’), compreendida entre os maciços da Tijuca e da Pedra Branca, é constituída pelos vales dos tributários das lagoas da Tijuca e Camorim; por essas lagoas e a de Marapendi (‘mar limpo’), na Restinga de Itapeba (Lage), pelos campos de Sernambetiba e pela restinga de Jacarepaguá, com suas dunas, a qual é anteparo do Oceano Atlântico (…). Foi esse pedaço da cidade do Rio de Janeiro que me impressionou e por isso pensei em relatá-lo em pálidas notas, apanhadas em excursões, visto não ter sido objeto de observação dos nossos estudiosos. Aí encontrei uma população laboriosa, bem brasileira, cujos usos e costumes me levaram à denominação de Sertão Carioca.”

CORRÊA, Antônio Magalhães. O Sertão Carioca. Imprensa Nacional; 1936, p. 55-56.

O Trabalho de Campo (TC) constitui uma extraordinária oportunidade de articulação dos saberes abordados em sala de aula com os fenômenos naturais e culturais do “mundo real”. O TC manifesta-se como metodologia rica em possibilidades de estimular a pesquisa como um princípio educativo e a responsabilidade social como princípio ético. Organizado em três fases distintas, porém, plenamente complementares (pré-campo, campo e pós-campo), esta proposta pedagógica é muito apreciada pelos estudantes, não apenas por romper com a linearidade imposta pelo cotidiano escolar, mas, principalmente, por instigar sua curiosidade e seu desejo por novos conhecimentos.
Em 2018, os Trabalhos de Campo no Colégio Alfa CEM Bilíngue estarão alinhados para proporcionar aos estudantes “Um olhar investigativo sobre o Sertão Carioca”. Trata-se da exata região de entorno de nossas unidades, formada pela Baixada de Jacarepaguá e da Barra da Tijuca; e leva o nome
conferido pelo famoso historiador Armando Magalhães Corrêa1 quando, na década de 1930, retratou em prosa e desenho a paisagem e os fenômenos culturais e naturais entrelaçados nesta região que viria se tornar uma das mais importantes da cidade do Rio de Janeiro quase um século depois.

Entre os principais objetivos destas ações pesquisatórias estão:

(1) conhecer o complexo lagunar;
(2) conhecer a biodiversidade encontrada em restingas, manguezais e florestas remanescentes;

(3)identificar possíveis soluções para os conflitos provenientes da tensão entre preservação e urbanização deste patrimônio carioca.

Preparamos um roteiro diferente para cada série, desde a Educação Infantil até o Ensino Fundamental 2. A proposta é que, ao término do ano letivo, tenhamos um belo mosaico formado pelos resultados de pesquisa de cada grupo e, desta maneira, possamos melhor compreender este belo cenário que temos ao redor, suas belezas e desafios. Os Trabalhos de Campo servirão como base para a nossa Feira de Ciências, em que os alunos poderão demonstrar seus conhecimentos sobre os locais visitados.

As turmas de 1o ano do Ensino Fundamental 1 terão como local de investigação o Parque Chico Mendes – localizado no Recreio. O complexo lagunar e o árduo trabalho de preservação da biofauna e bioflora são alguns dos itens na pauta desta proposta de pesquisa.

As turmas de 2o ano do Ensino Fundamental 1 terão como local de investigação o Bosque da Barra – Barra da Tijuca. O Bosque da Barra, onde estão preservadas a vegetação natural das áreas originais da Barra da Tijuca e animais que originalmente habitavam o local, traz grande variedade de fauna, tornando a pesquisa atraente aos pequenos investigadores.

As turmas de 3o ano do Ensino Fundamental 1 terão como local de investigação o Parque Natural Municipal de Marapendi – localizado no Recreio. O parque resguarda os ecossistemas nativos de restinga e manguezal além de árvores centenárias, como jacarandás e pinheiros do Paraná, e animais, como o tucano-de-bico-preto e o bicho-preguiça, nossos objetos de estudo.

As turmas de 4o ano do Ensino Fundamental 1 terão como local de investigação o Parque Estadual da Pedra Branca (PEPB) – Barra da Tijuca. Os desafios de manter uma unidade de preservação ambiental no meio de uma região cosmopolita e estudos sobre as nascentes hídricas que, saindo do próprio parque, envolvem a região do Sertão Carioca e alimentam de volume as lagoas da região estão entre os itens previstos para esta ação.

As turmas de 5o ano do Ensino Fundamental 1 terão como local de investigação o próprio complexo lagunar, visto por dentro através de uma expedição realizada em balsas (Ecobalsas). Os severos impactos da urbanização crescente dos bairros da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá sobre o equilíbrio ecológico deste patrimônio carioca está entre os itens de pesquisa previstos para esta ação.

Pela enorme importância deste complexo Lagunar, os trabalhos de campo previstos para o entorno de nossas unidades se conectam intimamente com o tema do ano de 2018, ÁGUA(S): POESIA, GENTE E TERRA. Eles trazem reflexão, crítica e problematização sobre a crise hídrica que se agiganta em nossos horizontes ao lugar-vizinho de nosso cotidiano, às paisagens e cenários mais comuns e que nossos olhos insistem em ignorar.

Um olhar investigativo sobre o Sertão Carioca pretende ressaltar o valor da memória e do patrimônio (material e imaterial, cultural e natural) da terra que nos acolhe, em que vivemos, do aqui e agora. Pés no chão para ir além. Raízes e asas, em aparente contradição, são mesmo – somadas – necessárias para uma Educação verdadeiramente emancipatória.

Texto produzido por André Ferreira – Direção Pedagógica Rede Alfa CEM Bilíngue

banneragendamentodereunio_1_original (1)

Mais para explorar

Ensino Fundamental 1

A Formatura do 5º Ano – Turmas 2023

Final de ano é recheado de festas e, uma delas, é a Formatura. Esta representa uma conquista inimaginável, pois cada aluno sente mais ou menos